#DiárioDeUmCadeirante: Apresentação + Começo de minha historia.

Olá leitoras linda da Milena! Tudo bom com vocês amores?
Estou tão feliz em está participando do blog da Mi, espero que a gente consiga se entender pra que eu traga conteúdos bem legais pra vocês.
Então meninas, meu nome é Elizabete, mas assino como Betty Gomes em meus vídeos rs, tenho 23 anos, sou de Camaragibe-PE e sou cadeirante (Deficiente física).
Depois desta breve apresentação irei contar um pouco da minha historia aqui neste post de hoje, onde irei trazer semanalmente (pretendo), um quadro lá do meu canal que se chama #DiárioDeUmaCadeirante onde abordo vários temas sobre minha vida de cadeirante.
Chega de blábláblá e vamos ao que interessa:
Nasci com mielomeningocele, mas o que é mielomeningocele? Você deve está se perguntando num é? Mielomeningocele é uma má formação do sistema nervoso que acorre no primeiro mês de gestação, não se sabe ao certo o que causa essa doença, mas pelo que li é a falta de acido fólico materno. Como se descobri a doença na gestação? Fácil, quando faz a ultrassom nas imagens mostram o estado de saúde do seu bebe e nela você já pode ver se seu bebe tem essa doença ou não. No caso da mielomeningocele as cirurgias são inevitáveis, a partir do nascimento do bebe é recomendado fazer a cirurgia da mielo nas primeiras 48 horas para diminuir os riscos de infecções e outros tipos de doenças no bebe. As sequelas da mielomeningocele são: hidrocefalia, pés tortos, problemas nos joelhos, nos quadris, perda de controle do intestino e da bexiga, e a perda parcial ou total dos movimentos das pernas.
Quando minha mãe engravidou do primeiro filho a gestação dela foi normal e ele nasceu "perfeito", já na minha gestação ela passava muito mal, mas o medico achava que era frescurites de gestante e nunca deu bola para ela. Ela fez um pré-natal normal, só que ela nunca fez uma ultrassom por que o medico achava que ela não precisava por que seu primeiro filho tinha nascido saudável e antigamente pra conseguir alguma medicação, ou tratamento pelo SUS era muito ruim (sei que isso até hoje não melhorou, sinto na pele). Pois então, depois de uma gestação bem difícil, chegou a tão esperada hora de minha mãe ter seu filho(a) no colo já que ela não sabia o sexo e nem os problemas do bebe, quando ela sentiu a dor para dar a luz foi a um hospital mais próximo, chegando lá ela foi examinada e o medico que estava de plantão no dia, muito bruto por sinal falou que ela ia esperar que eu não iria nascer logo, e que ela ia ter a criança em parto normal só que o que ele e nem ninguém ali sabia era que eu estava na posição errada para nascer, eu estava em pé e com o cordão umbilical enrolado no pescoço . E o medico falou que ia a uma reunião e que quando ele voltasse da reunião talvez ele atenderia minha mãe e deixou ela lá sozinha, a sorte (que eu chamo de Deus) foi que ficou uma enfermeira acompanhando algumas mulheres que já estavam ali com seus bebes, quando observou que minha mãe estava ficando roxa, por que quando eu fazia força pra nascer ao invés de sair a cabeça ia sair os pés, e minha cabeça estava prendendo a respiração da minha mãe além de que eu estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço, ou seja as duas estavam a ponto de morrer. Quando a enfermeira viu o que estava acontecendo ia passando um medico do setor particular do hospital, foi aí que ela chamou o doutor e explicou, e ele mandou preparar a sala de cirurgia urgente. Quando eu nasci minha mãe passou mal, e foi dopada para que ela não me visse, os médicos ali ficaram abismados comigo por que naquele hospital ainda não tinha nascido nenhuma criança com problemas igual aos meus. Logo fui transferida para um hospital maior em Recife onde pude ser melhor atendida e examinada com calma, minha mãe continuava dopada, e aí você já imagina o desespero da família né? Minha mãe estava se recuperando da cirurgia, mas, ninguém contava a ela o que realmente tinha acontecido e o que estava acontecendo, enquanto ela estava aqui no hospital de Camaragibe eu estava lá em Recife, passando pela minha primeira de muitas cirurgias que estavam por vir.
Quinze dias depois de sua recuperação e da minha cirurgia, ela decidiu que iria atras de mim pra saber o que realmente estava acontecendo, na verdade ela pensava que eu não estava viva por que as pessoas sempre inventavam mentiras pra que ela ficasse em casa se recuperando bem pra conseguir cuidar de mim. E ela foi ao hospital, e você já imagina a loucura que foi né? Ela não saiu mais de lá, ficou comigo mesmo ainda se recuperando do pós parto. Depois dessa minha primeira cirurgia as noticias não foram boas, por que eu não sentia minhas pernas, os meus pés eram tortos, tinha problemas no quadril, o intestino e a bexiga não funcionavam direito, e eu tinha hidrocefalia.
E aí vieram varias outras cirurgias que eu contarei nos próximos episódios e aos poucos para os post não ficarem tão grande. Se você quer mais post como este comenta aqui, que eu trarei sim bastante tema deste tipo, se ficou com alguma duvida deixa sua pergunta aqui nos comentários que eu responderei nos próximos post!
Quer saber onde me encontrar?
Espero que tenham gostado do post amores, e que a gente possa nos encontrar mais vezes por aqui. Mil beijos e até o próximo post!